• Mirna Fernandes

Nyamas

No segundo capítulo dos Yoga Sutras (Sadhana Pada), Patanjali menciona no sutra I.28 as oito partes do yoga ou oito membros do yoga (Asthanga Yoga) como uma forma de minguar as impurezas


I.28 YOGANGANUSTHANAD ASUDDHI KSAYE JNANADIPTIR A VIVEKAKHYATEH

Pela prática das oitos partes do Yoga, vão se minguando as impurezas e com isto alvorece a luz do saber, que conduz ao discernimento discriminativo


No Sutra I.29 ele enumera todos os 8 membros do Yoga. O segundo preceito que é NYAMA, está relacionado as normas de conduta referentes à disciplina individual, ao passo que os Yamas (primeiro membro - post anterior) são regras universais. Os Nyamas, assim como os yamas, também se dividem em 5 preceitos básicos:


1 - SATTVASUDDHI SAUMANASYAIKAGRYEN DRIYAJAYATMADARSANA YOYATVANI CA)

Além do mais, são ganhos da pureza de sattva, contentamento da mente, acuidade, domínio dos sentidos, e aptidão para a Auto-Realização


A pureza do corpo é essencial para o nosso bem-estar. Enquanto bons hábitos como o banho purificam o corpo externamente, asanas e pranayama o limpam internamente. A prática regular de asanas tonifica o corpo inteiro e remove as toxinas e impurezas causadas pelo excesso de indulgência. Mais importante que a limpeza física, é depurar a mente das emoções perturbadoras como ódio, paixão, raiva, luxúria, cobiça, ilusão e orgulho. E ainda mais importante é a depuração do intelecto (budhi) dos pensamentos impuros. As impurezas da mente são lavadas pelas águas da devoção (bhakti). As impurezas do intelecto ou da razão são consumidas pelo fogo de svadhyaya (autoconhecimento ou estudo do Eu).

Essa limpeza interna traz luz e alegria. Traz também benevolência (saumanasya) e afasta o sofrimento mental, a depressão, a tristeza e o desespero (daurmanasya). Quando somos benevolentes, não vemos somente as faltas, mas também as virtudes dos outros. O respeito pelas virtudes alheias desperta respeito próprio e nos ajuda a combater nossas próprias aflições e dificuldades.


2 - SANTOSHA (I.42 SAMTOSAD ANUTTAMAH SUKHA LABHAH)

Pelo contentamento, suprema alegria é adquirida

O contentamento pode ser cultivado internamente, é um estado mental. Um mente descontente não consegue ter concentração. O contentamento nasce muitas vezes do estado de gratidão e devoção e não da satisfação dos desejos intermináveis da mente.


3 - TAPAS (I.43 KAYEDRIYA SIDDHIR ASUDDHI KSAYAP TAPASAH)

Pela abnegação, as impurezas do corpo e sentidos são destruídas e poderes ocultos são adquiridos


"A vida sem tapas é como um coração sem amor" (BKS Iyengar)

O termo tapas significa arder, queimar, brilhar, sofrer dor ou consumir-se pelo fogo. Significa esforço ardente. Envolve purificação, disciplina e austeridade. A edificação do nosso caráter exige que pratiquemos tapas. Por meio de tapas o yogue desenvolve força física, mental e de caráter. E adquire coragem, sabedoria, integridade, franqueza e simplicidade.


A vida sem tapas é como um coração sem amor, é através de tapas que queimamos nossos desejos que se interpõem à nossa união definitiva com o Divino.

Um trabalho executado sem motivos egoístas ou esperança de recompensa também é considerado tapas.

Existem três tipos de Tapas:

relativo ao corpo (kayika) - continência (brahmacharya), não violência (ahimsa)

à palavra (vachika) - usar palavras não ofensivas, recitar o nome divino, falar a verdade,

à mente (manasika) - cultivar uma mente tranquila e equânime diante da alegria ou tristeza, sem perder o autocontrole



4 - SWADHYAYA (I.44 SVADHYAYAD ISTADEVATA SAMPRAYOGAH)

Pelo estudo dos livros sagrados chega-se à comunhão com a deidade escolhida

Aquele que pratica svadhyaya lê seu próprio livro da vida, ao mesmo tempo que o escreve e revisa. Esse preceito fala do auto estudo, do estudo de Si mesmo. O Sadhaka que o pratica tem como hábito a leitura dos livros sagrados que o inspiram e o mantêm em comunhão com o divino, permitindo assim que possa compreender a natureza da sua alma, e compreender que toda criação é divina, que a divindade reside em seu interior e que a energia que o move é a mesma que move todo o Universo. Através de svadhyaya elimina-se a ignorância.


5 - ISVARA PRANIDHANAM (I.45 SAMADHI SIDDHIR ISVARAPRANIDHANAT)

Pela total rendição a Deus chega-se ao samadhi

"Quando as águas da devoção fluírem pelas turbinas da mente, o resultado será poder mental e iluminação espiritual" (BKS Iyengar)

O último dos Nyamas nos fala de rendição, de entrega ao Senhor (Isvara). Nos fala de fé e devoção inabalável onde não existe desejos egoístas e mesquinhos, onde a consciência de "eu" e "meu" simplesmente se dissolve e a alma individual se integra na Alma Universal.


Para isso é necessário esvaziar a mente dos desejos de gratificação pessoal, pois uma mente cheia de pensamentos desejos corre o risco de ser dragada pelos objetos do desejo. Tentar praticar bhakti sem esvaziar a mente dos desejos é como acender uma fogueira com lenha molhada, produzirá apenas muita fumaça. A mente desejosa não pode acender ou brilhar, nem gerar luz e calor quando tocada pela chama do conhecimento.


O yogue aprende a arte de dedicar todas as suas ações ao Senhor, e assim elas refletem a divindade em seu interior.


Namaste!








9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Yamas